Home Ciência Superlua, Lua Azul e Lua de Sangue, dia 31 de janeiro de 2018 será Especial

Superlua, Lua Azul e Lua de Sangue, dia 31 de janeiro de 2018 será Especial

por Redação EstraBlog

Um fenômeno celeste muito raro, quando teremos na mesma noite, uma Superlua, Lua Azul e Lua de Sangue, acontecerá no dia 31 de janeiro de 2018. Segundo a NASA, será uma noite especial. O fenômeno é muito raro, a última vez que aconteceu foi em março de 1866.

Superlua, Lua Azul e Lua de Sangue, dia 31 de janeiro de 2018 será Especial

Superlua

O que conhecemos por uma Superlua é quando nossa lua está no ponto mais próximo da Terra. Como está próximo (em seu perigeu), causa a falsa impressão que o nosso satélite natural cresceu, que está enorme. Como estará em sua fase cheia, ficará linda no céu da noite, em regiões que a população tenha sorte e não esteja nublado.

Perigeu é o ponto no espaço onde um corpo que orbita a Terra, no caso a lua, está mais próximo de nosso planeta. Apogeu é o contrário, quando em sua órbita, estará em seu ponto mais distante do nosso planeta.

Superlua e catástrofes

Especula-se que durante o perigeu, ou Superlua, devido a sua distância reduzida em relação ao nosso planeta, a lua cause perturbações no clima terrestre. Em 1955, 1974, 1992 e 2011, ocorreram catástrofes nos dias de uma Superlua. Em 2005 durante a Superlua ocorreram terremotos na Oceania e Indonésia e o famoso e inesquecível Furacão Katrina.

Como não existe base científica, também não se pode afirmar que tenhamos algum evento semelhante. Mas não custa estarmos atentos e SEMPRE, preparados, principalmente mentalmente para algo que possa acontecer. Fenômenos meteorológicos que provocam catástrofes não são raros como podemos ver no site Momento Crítico, que vem instruindo de maneira coerente seus leitores para estes fatos.

Lua Azul

A Lua Azul é assim conhecida quando em um mesmo mês temos duas luas cheias. É um fenômeno que ocorre a cada dois anos aproximadamente e de vez em quando ocorre duas vezes no mesmo ano, como será em 2018. No dia 31 de janeiro teremos uma Lua Azul e no dia 31 de março teremos outra.

O fenômeno pode ser considerado raro, tanto é que os ingleses inventaram uma expressão para ele. “Once in a blue moon”  (uma vez na lua azul), expressão utilizada para citar eventos que raramente acontecem.

Apesar do nome, Lua Azul, nosso satélite natural não adquire essa coloração. Caso ocorra, será por alterações atmosféricas, ou uma situação muito propícia, de uma noite com o céu limpo, sem nuvens.

Lua de Sangue

Neste caso sim, o nome tem tudo a ver com o que realmente acontece com o nosso satélite natural. A lua adquire uma coloração avermelhada e a cultura popular batizou o fenômeno como “Lua de Sangue”.

Como ocorre a Lua de Sangue

A Lua com tom vermelho, ou lua de sangue ocorre quando temos um eclipse lunar total. Nosso planeta fica em um ponto do espaço entre o sol e a lua. Durante este período, ao invés da lua receber diretamente a luz solar, recebe os raios solares que passam pela atmosfera terrestre. Dispersão de Rayleigh, é o nome dado ao fenômeno que causa o tom avermelhado na lua.

A radiação solar é composta por ondas eletromagnéticas. A atmosfera de nosso planeta absorve algumas ondas e reflete outras, desta forma a Lua se torna vermelha durante um eclipse.

Se nosso planeta não tivesse atmosfera, durante um eclipse a lua não seria vermelha, mas preta, ou provavelmente sumiria, ficaria totalmente escondida na sombra da Terra.

Lua de Sangue e o Apocalipse

Muitas pessoas acreditam que não é apenas um fenômeno natural, mas que é um sinal do Apocalipse.

Essa crença é devido a uma passagem bíblica, Joel, capítulo 2 versículo 31: “O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor.”

Superlua, Lua Azul e Lua de Sangue, dia 31 de janeiro de 2018 será Especial

A Lua de Sangue volta a ser citada em Apocalipse, capítulo 6 versículo 12: “E, havendo aberto o sexto selo, olhei, e eis que houve um grande tremor de terra; e o sol tornou-se negro como saco de cilício, e a lua tornou-se como sangue.”

Como citamos anteriormente neste mesmo artigo, não custa estarmos atentos.

Fenômeno no Brasil

Aqui no Brasil, infelizmente não poderemos ver o fenômeno em sua plenitude. A Lua de Sangue (eclipse lunar) somente será observado no hemisfério norte do planeta. Desta forma teremos que nos cotentar, para aqueles que conseguirem, pois o tempo estará nublado em muitas regiões, com a Super Lua.

Praticamente toda a América latina, África e Europa Ocidental, ficarão sem observar, tanto pelo fuso horário quanto pela órbita terrestre.

Superluas não são fenômenos raros, em 2016 tivemos três. Inclusive a de novembro quando foi a maior registrada nos últimos 69 anos. Ocorrem poucas vezes no ano porque dependem da distância e das alterações nas órbitas da Terra e da Lua.

Qual a sua opinião sobre a Super Lua, Lua Azul e Lua de Sangue? Deixe seu comentário e marque os seus amigos!

Artigos Relacionados

Gostaríamos de saber a sua opinião. Comente!